sábado, 25 de fevereiro de 2012

Entre nós

Entre nós? 

Entre nós, a imensidão de um olhar perdido no nada.
Entre nós, o eco dos meus gritos no silêncio.
Entre nós, o vão de um abraço não preenchido.
Entre nós, o vazio nos lábios de um beijo não dado.
Entre nós, palavras não ditas. Palavras mal ditas. Suas palavras malditas.
Entre nós, segredos guardados. Retidos no silêncio. Adormecidos.
Entre nós, os sonhos perdidos. Desvanecidos.  
Entre nós, os sentimentos expostos e quebrados. Magoados.
Entre nós, sorrisos desfeitos. Imperfeitos.
Entre nós, ilusões espalhadas ao vento com palavras falsas. Dispersas. 
Entre nós, expectativas quebradas. Despedaçadas. Dilaceradas.
Entre nós, foi tudo.
Mas restou nada.

Entre nós, muitos nós.
Entre nós, nenhum de nós.
Entre nós, nós desfeitos.
Nós...
                                    Desfeitos. 


Entre nós, duas linhas paralelas.


10 comentários:

  1. Pra falar a verdade está tão difícil haver 'entre nós' hoje em dia. É sempre entre mim e o vazio. Mas ainda pior é quando há o entre nós em que apenas eu participo. Eu fico a cargo de amar, eu fico a cargo do carinho, eu fico a cargo da preocupação, eu fico a cargo das lágrimas e eu fico a cargo de sofrer. Sozinho, olha que irônico.

    Eu penso que ainda haverá alguém por aí que ficará a cargo de fazer o entre nós certinho, parelho, bem desenhado, SEM nós, menina Dani. Ah se tem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. E o problema é que nos encarregamos de tudo isso por alguém que não merece.
    Mas há de existir alguém que cumpra a outra parte do "nós". Também acredito nisso.

    Suas palavras sempre certas, menino Tiago.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Tu tá muito poética, ultimamente! hahaha
    Adorei, achei lindo de verdade.
    Que bom que você tem esse espaço pra registrar tudo isso.
    ;*

    ResponderExcluir
  4. Apesar do devaneio de todo afastamento,
    os 'nós' desatados enlaçam-se aos pés,
    nos enredando em abraços e olhares
    longínquos. De todo amor; esse é onde
    O amor vira abrigo.


    Fiquei a seguir,
    Paz!

    ResponderExcluir
  5. Tantos nós e tão pouco nós pronome pessoal. Porém, não se preocupe. Porque ponto dado aqui, só vai ser arrematado aculá e os nós serão desfeitos. O mais importante e mais difícil é isso: a-cre-di-tar. Acredite.

    Você sabe o quanto eu gosto e aprecio os seus textos, e já não sei nem como expressar isso. Então o que me resta é uma tentativa simples: Adorei.
    Cuide-se.

    ResponderExcluir
  6. Lindos seus textos Dani.

    BEijos.

    ResponderExcluir
  7. Dani, é curioso perceber como tudo rui, desmancha, esvai, desfaz e vai morar na caixa de passados. Parabéns pelo sentimento expresso. Beijo dominical do blogueiro visitantes. Ah, sim! Quero lhe convidar para que leia O INFERNO SEGUNDO CONSTA no meu http://jefhcardoso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. ATUALIZA!! #ACHATA
    asuhasuhausahsauhsaushausha
    não to te pressionando. ^^

    ResponderExcluir
  9. Não teria como eu passar por essas lindas palavras que já fizeram parte de minha vida e não te agradecer por expô-lá de maneira tão harmônica, clara e verdadeira. Parabéns! Ganhou mais um fã.

    ResponderExcluir
  10. Danilinda, que delícia de texto! Nós em nós, sempre rendendo boas escritas. És terna. Um beijo!

    ResponderExcluir