terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Oi, moço

(Para ser lido ao som de "Confessions" - City and Colour)



Há quanto tempo, não? Confesso que já não lembrava mais do seu sorriso. Estava com saudade de me ver nos seus olhos. Senti falta do seu abraço. Desejei tanto ter seu beijo novamente... Mas, passou. Por favor, sente-se. Há algumas coisas que preciso lhe dizer. Não, quero que se sente de frente para mim. Quero que olhe em meus olhos enquanto me ouve. Ah sim, vai me ouvir, porque da última vez que estivemos juntos, você me tirou todas as palavras com o golpe que me deu. Você tirou o meu chão, sabia? Por acaso não se lembra das vezes que me abraçou forte e disse que não abriria mão de mim? Por acaso não se lembra dos meus olhos nos seus enquanto eu pedia para que não soltasse a minha mão? Mas você soltou. Você soltou e eu me perdi. Sabe quando você fica sem rumo, quando as coisas parecem não fazer mais sentido? Eu não sabia para onde olhar, para onde ir, o que fazer, o que pensar... Você me desnorteou. Consegue imaginar a bagunça que fez na minha cabeça e no meu coração? Tem noção de como desorganizou a minha vida? Mal pode imaginar o quanto chorei. É, moço. Que bagunça. Não, não se preocupe. Agora não precisa mais se preocupar. É tarde para isso. Aos poucos eu estou reorganizando tudo, como já fiz várias vezes. Sabe o que é mais engraçado? Antes de te conhecer, eu me sentia dona de mim. Julgava-me protagonista de minha história e havia decidido que daria o papel de coadjuvante a quem realmente o merecesse. Você me disse que seria merecedor. E é assim que demonstra isso? Você me fez sonhar e depois me acordou para a realidade que sempre foi a minha vida. Doeu despertar deste sonho bom. Não, não seque minhas lágrimas. Elas não estão sendo mais derramadas por você. Eu choro por mim mesma. Choro por ter permitido que tudo isso acontecesse de novo na minha vida. Vou tirar você do meu coração, por mais que isso me doa. Não! Poupe as suas palavras, eu não as quero. Não quero sua voz ecoando em meus ouvidos. Não quero que me responda nada. Já não me importam as suas explicações, os seus motivos, já não me importa mais nada. Pode ir agora. Desta vez, definitivamente. E não olhe para trás como fez da última vez, deixando-me com esperanças de um possível retorno. Ah, aproveite e leve algumas coisas que eu separei da minha caixinha de lembranças. Leve consigo todos os seus abraços, cada um dos beijos que me deu, essa porção de palavras (falsas?) que me disse e algumas promessas que me fez. Pode levar tudo, não quero guardar nada. Isso me machucaria todas as vezes que eu olhasse para a caixinha e me desse conta do quanto fui boba. Boba, sim. Eu não deveria me entregar tão facilmente, tão inteiramente, tão intensamente. Mas, enfim. Não sei ser de outro jeito. Leve tudo o que lhe pertence e me devolva tudo o que lhe dei. Devolva meus abraços, meu carinho, meus beijos, minhas palavras, meus pensamentos. Devolva o meu amor. Sei que não lhe dei muito, mas foi tudo verdadeiro, foi tudo muito intenso. Só não peço para devolver meu tempo porque é impossível, eu sei. Já disse que não precisa secar minhas lágrimas, elas não lhe pertencem. Não mais. Elas secarão. Mas, antes, preciso que elas lavem minha alma, preciso que elas tirem as manchas que você deixou em meu coração. Desejo que você seja feliz. Apenas isso. Te amo tanto a ponto de deixá-lo livre. É, moço, eu te amo. Por enquanto. Mas isso passa, certo? Claro que passa. Vá e deixe que o tempo me cure. Deixe que o tempo seque minhas lágrimas, como ele sempre fez. Vá e deixe que o tempo me faça companhia. Adeus.

16 comentários:

  1. Sou o amigo que leu. Respirou fundo. Deu um forte abraço. E deixou alguma coisa para ler:

    Eu hoje joguei tanta coisa fora
    Eu vi o meu passado passar por mim
    Cartas e fotografias gente que foi embora
    A casa fica bem melhor assim
    (Música: Tendo a Lua - Os Paralamas do Sucesso)


    Para sempre é muito tempo. O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
    (Mário Quintana)

    Saudade é solidão que se colhe no tempo certo, na estação errada.
    (@Despoesia)

    ResponderExcluir
  2. Tem gente que parte sem aviso, ou com golpes que você nunca pode suportar.

    Vão, simplesmente vão e levam um pedaço de você.

    Nunca são os primeiros e nem vão ser os últimos, é.

    Vamos sobrevivendo e tentando não ser pedaços, aqueles que sobram.

    É preciso deixar partir. É o que tenho feito, deixado ir quem não quiser ficar. Sem objeções e para falar a verdade, não sejo coisa alguma para eles.

    Mas, tem esse moço (sempre tem), que eu amei e trago ainda nos meus gostos, nas minhas lembranças mais bonitas. Que eu desejo que seja feliz, mesmo longe, mesmo com outra dormindo no peito, tão meu.

    A história que eu nunca tentei apagar, rasurar.

    Segui, mas não pude dizer Adeus. Seria me despedir da minha fé nessa coisa do amor.

    E preciso acreditar que ele existe, mesmo que não seja naqueles olhos azuis.

    Sempre vou lembrar, meu egoísmo é esperar que ele lembre também, com carinho do que fomos.


    Texto lindo, lindo e lindo. Menina, menina: adorei.

    Já escrevi demais, néh? Olhá o perigo das suas linhas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma teoria de que as coisas tristes que nos aconteceram são como bumerangues: tacamos elas para longe, mas elas sempre voltam. E quando voltam, atingem em cheio nossas cabeças porque estávamos distraídos. Mas o pior é que a gente de uma forma pra lá de irônica adora reviver esses momentos. A gente quer justificar, a gente que ver onde foi o erro, em que parte daquilo tudo nós poderíamos ter sido mais perfeitos. Ah, esses flashbacks. Calombos em nossas mentes e corações.

    O moço, menina Dani, nos dias atuais, não passa de um calombo em seu coração. Dá aquela coçadinha, aquele incomodo, mas ja ja desincha e volta tudo à normalidade.

    É só pensar pela forma mais clichê possível: há um outro moço por aí que vai fazer da maneira certa. Que vai pisar na cabeça do antigo moço e mostrar para ele como se faz.

    (OBS: esses segundos finais da música Confessions me arrancam lágrimas sempre que a escuto)

    ResponderExcluir
  4. Confesso que quase chorei. Eu reconheço essa sua vontade de fazer com que esse texto seja o veredito final. Eu sei que muitas das suas palavras foram dedicadas a ele, que muitos dos seus textos foram pra ele. E isso dói, porque nossas palavras são o que de mais verdadeiro tem pra gente doar, e quantos merecem? quem merece? A gente sabe, mas a gente sente ainda mais, e não dá pra controlar. Eu desejo que você consiga colocar em prática tudo que você sabe que tem a fazer, que você mais uma vez prossiga, só que dessa vez, desejo que o tempo não seja a sua melhor companhia. Cuide-se. E não deixe de acreditar no amor, ele existe, um dia pode ser que você o encontre em alguma esquina qualquer, ou melhor ainda, que ele a encontre. E que mereça todas as suas palavras, essas suas letras que fazem sentir. Tomara.

    ResponderExcluir
  5. Dani que lindo...

    (vou te contar um segredo: eu sei como vc se sente, dói, por dias,meses,mas passa... mas não conta pra ninguém...)

    Esse moço ai não merecia nem o carinhoso apelido " moço " que destes a ele...

    Te admiro por conseguir escrever como terapia...
    E te desejo com todo carinho que encontre uma pessoa digna de seus sentimentos, palavras e até mesmo desse apelido carinhoso...

    (@Poyntcher)

    ResponderExcluir
  6. Texto lindo, talento pra escrever tá transbordando aí!
    Parabéns Dani, e a vida te trará um outro moço que fará você superar este aí. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. E lembrar que ontem eu deitei na cama, fechei os olhos, coloquei Confessions pra tocar e deixei que ela falasse por mim.
    Quando a vida vai ser um pouco mais doce, hein? Porque esse amargo já está azedando.
    Enfim, é bom que você esteja decidida, é o primeiro passo, E mais importante.
    Já diria Caetano: "tempo tempo tempo...é um dos deuses mais lindos (...) compositor de destinos..."

    ResponderExcluir
  8. Ótimo ' Minha admiração por você só aumenta .

    ResponderExcluir
  9. Suas palavras me tocaram profundamente, é tão ruim ver a pessoa amada ir em bora dói de um jeito que nenhuma palavra pode explicar, mais como você disse isso vai passar, eu também estou passando por algo parecido, espero que tenhamos sorte daqui pra frente! Sucesso! Gostaria que me fizesse uma visita e siga se gostar:
    http://fazdecontatxt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Ouvi, vi, senti o choro ir gradualmente aparecendo, não no texto, mas se acedendo das lembranças pra alma e da alma pra lágrima me fazendo reviver a ultima conversa com quem amei, com quem acariciei, com quem vivi o amor, mas que magoei e fiz chorar e me fiz chorar por vela triste por mim que me achava merecedor, mas que nem merecia seu primeiro sorriso e sua ultima lágrima

    Obrigado por escrever

    ResponderExcluir
  11. Depois de tudo que eu li, só posso usar de três palavras para descrever: Sem palavras, Parabéns. ♥

    ResponderExcluir
  12. Olá Dani, como vai?

    Estou visitando alguns blogs e encontrei seu cantinho. Simplismente AMEI a postagem de hoje (acho que porque estou precisando dizer essas palavras para uma pessoa...)
    Já estou te seguindo!

    Beijocas carinhosas da...
    Fe

    ResponderExcluir
  13. chorei de leve =/

    ResponderExcluir
  14. Oi Moço, venho por meio desta lhe dizer algumas palavras.
    "Conheci" a história da menina e era visível o amor que ela nutria por você. Ela segurou a sua mão e prometeu não soltá-la mas você não fez o mesmo, muito pelo contrário, você a soltou sem remorso algum. Querido moço, você sabe que o mundo dá voltas né ? Pode parecer clichê, mas tudo que fazemos (de bom ou de ruim) volta com a mesma intensidade. Como no texto do Drummond que diz "João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém." hoje a menina sofre por você, amanhã você sofrerá por alguém e assim por diante. Não negue os fatos, se você não tinha a intenção de amar a menina porque segurou a mão dela e a fez acreditar nisso? Ela é forte, está vivendo a vida dela e sendo o que ela sempre foi, mas não pense que foi fácil. Eu já passei por isso e sei como dói. Espero que ela consiga te esquecer por completo, e que as lembranças da menina que tanto te amou te atormente quando você amar alguém que não te dê valor. Eu espero que ela encontre alguém que a mereça, pois você não foi digno dela. Espero também que ela te agradeça pois com você ela aprendeu algumas lições que nunca irá esquecer. E acredite, não era pra ser você, você foi apenas uma preparação para o que está por vir. Ela vai ser FELIZ e isso seu moço, não está mais nas suas mãos.
    Digo isso porque me encontrei nela, voltei alguns anos no passado e lembrei o quanto eu sofri por alguém que me deu a mão, me fez promessas vãs e me deixou no meio do caminho assim como você a deixou. Tudo passa, e na maioria das vezes, mais rápido do que se imagina. Espero de coração, que você tenha sido apenas um sonho ruim na vida da menina, pois ela tem um coração lindo e merece apenas ser feliz.

    P.S: Amo seus textos Dani. Sou sua fã *-* <3

    ResponderExcluir
  15. Resumindo: Se eu pego esse moço, dou uma surra nele, como um gato morto, até o gato miar. Coisa que não se faz heim.

    ResponderExcluir
  16. Arrepiei primeiramente pela música que você escolheu.
    Não há estado de alegria que sobreviva a City and Colour!
    Depois de ler o texto, como algumas vezes já aconteceu (inclusive aqui no teu blog), senti como se o mesmo conversasse comigo. Ele disse o que eu tenho plena consciência mas, ainda assim, teimo em duvidar: vai ficar tudo bem. Ainda que doa, que pareçam intermináveis as noites de insônia, que tudo te faça acreditar que é permanente. Um dia tudo se acerta e a gente vive acreditando nisso.
    Elogio também teus leitores: quanta docilidade nos comentários!
    Beijos, parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir